top of page
Picsart_23-09-14_09-31-26-480.png
InShot_20220301_173144045_edited.jpg

Siga o Portal
nas redes sociais:

  • YouTube - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

PROCURE PELOS SEUS
POSTS FAVORITOS:

______________________

"Estamos nos divertindo e as coisas estão se saindo cada vez melhores"(Kerrang, 09/2022)


Disclaimer: transcrição e tradução da matéria e entrevista feita pela KERRANG ao Måneskin, publicada em 17 de Setembro de 2022.


Måneskin: under the skin.

Passado o Eurovision, Maneskin se tornou uma das maiores bandas do mundo. Agora se preparando para ser a atração principal do The O2 Arena, nós conversamos com os rock'n'rollers italianos no Lollapalooza para ver como suas vidas estão ficando loucas, e por que nenhum deles parece gostar de usar roupas...


É uma linda tarde de domingo no Gran Park em Chicago, o local do Lollapalooza. O sol está brilhando, o céu parece ter saído de uma pintura a óleo - um azul profundo e rico decora com nuvens perfeitamente formadas - e o ar está quente. Durante quatro dias, 100.000 pessoas entram na seção designada do parque de 319 acres para participar do festival originalmente iniciado por Perry Farrell em 1991 como uma turnê itinerante de despedida para Jane's Adiction. [...]


Você não entende porque um fã do Måneskin está na frente da multidão chorando. Na verdade, ela não está apenas chorando, mas chorando incontrolavelmente enquanto a banda italiana aparece no alto do palco principal cerca de quatro horas antes do ato principal do último dia, Green Day, oferecer uma performance fascinante que cimenta firmemente seu status lendário. Não são lágrimas de tristeza. Muito pelo contrário. Eles são uma expressão de alegria. Suas emoções irreprimíveis - seus paroxismos de alegria ampliados nas enormes telas de cada lado do palco - são mais do que suficientes para o vocalista Damiano David notá-la.


"É assim que se comporta em um show!"


- O frontman de 23 anos diz, tanto para a fã quanto para as outras milhares de pessoas que a assistiam chorar.


"Você é uma super fã profissional, ok? Eu te amo muito", ele continua.


"Tomem esse exemplo", ele diz, "Todo mundo comece a chorar agora, ok?"



É uma das poucas vezes que o inglês dele não é totalmente perfeito, mas isso não importa. Como a fã essencialmente se dobrando ao meio sobre a barreira, você sabe que é um momento que ela vai se lembrar pelo resto de sua vida.


É também uma indicação do poder que o quarteto - o vocalista Damiano, a baixista Victoria de Angelis, o guitarrista Thomas Raggi e o baterista Ethan Torchio - exercem atualmente. Depois de tocarem seu set de uma hora, o Perry Farrell's Porno for Pyro é a próxima banda no palco principal. E embora, reconhecidamente, eles nunca tenham tido a mesma atração que a peça principal de Perry, Jane's Addiction, há significativamente menos pessoas assistindo a eles do que assistindo Måneskin. Não é "meia banda" que só se formou em 2016 e cujas letras são muitas vezes italianas.


Isso não parece importar, no entanto. Se os Måneskin estão se a´resemtamdp - e cara, eles se apresentam - em seu próprio idioma, como na abertura do set com "ZITTI E BUONI" (a música com a qual o quarteto venceu o Eurovision Song Contest 2021), ou em inglês como eles fazem na decadente e hedonista "SUPERMODEL", a plateia canta cada palavra de volta. Quer as compreendam ou não. É uma visão incrivelmente rara de se ver - especialmente na América - mas o fervor internacional pelos italianos não termina aí.

Em 8 de maio de 2023, nove meses depois do Lollapalooza, o quarteto será a atração principal do The O2, com capacidade para 20.000 pessoas em Londres - Muito longe da conquista anterior, eles tocaram pela primeira vez na capital em 2019. Este último foi no The Dome, a capacidade para 500 pessoas. local no Tufnell Park, em Londres.


A banda não precisa estar ciente de quão incomum e insanamente rápida é a trajetória.


"Foi uma loucura ver como de repente começamos a plantar sementes por toda a Europa", diz Damiano no camarim da banda algumas horas antes do show, "e depois também fora da Europa. Tem sido ainda mais louco ver como foi rápido e como as coisas cresceram. Tipo, um ano atrás, nós fizemos uma turnê pela Europa tocando para... 500 ou 1.000 ou 2.000 pessoas. Quando tivemos sorte. Mas agora vemos que estamos vendendo tipo... mais de 10.000 ingressos na América do Sul. É uma loucura! Estamos chegando a lugares onde nunca imaginaríamos estar."


Escusado será dizer que muito disso se deve à vitória de Måneskin no Eurivison. Embora muitas vezes ridicularizado como uma competição que promove música pop terrível (e com razão), Måneskin decidiu que os prós de participar do concurso provavelmente superariam os contras. Eles estavam absolutamente certos.


"Fomos lá [Eurovision] sabendo que não era o nosso ambiente natural”, admite Damiano, “mas dissemos 'é um palco enorme!' E quando vemos um palco, só queremos tocar nele. Não nos importamos se é brega ou 'não é rock'n'roll'. Faremos dele rock n'roll! O que acho que fizemos no Eurovision. Nós não queríamos dançarinos ou outras coisas no palco - éramos apenas nós, um suporte para a bateria e pirotecnia"


Torná-lo rock n'roll foi exatamente o que eles fizeram - não apenas com a performance vencedora de "ZITTI E BUONI", mas também com suas supostas travessuras na mesa enquanto esperavam pelos resultados. Na televisão ao vivo, na frente de aproximadamente 183 milhões de pessoas, parecia que o cantor fez - ou estava prestes a fazer - uma linha de cocaína. Já foi provado que não, mas a confusão e o furor que tudo isso causou fez com que absolutamente todo mundo falasse sobre Måneskin, pelo menos. É algo que eles realmente gostam de instigar, e eles gostam de provocar as pessoas enquanto fazem isso.


"Nós somos bons em não nos importarmos com o que as pessoas dizem, porque sabemos a verdade", diz Damiano, "E achamos que a verdade e as coisas autênticas sempre vão vir à tona de uma forma ou de outra. Então, quando fomos acusados de cheirar cocaína no Eurovision, não ficamos chateados. Sabíamos a verdade e ficamos tipo 'ok, isso é divertido! eu até gostei isso!'. Eu estava super empolgado, e [foi engraçado pensar que] 'muito as pessoas me odeiam!'. Mas é fácil ignorar as coisas se você sabe a verdade e se elas não são verdadeiras". Há uma batida. "O problema é quando te pegam fazendo merda de verdade".



A vila de artistas no Lollapalooza é um complexo cercado logo atrás do palco principal do festival. Há vendedores de moda e comida que oferecem mercadorias gratuitas para quem tem acesso, além de um bar que serve bebidas gratuitas, embora não comecem a distribuir bebidas alcoólicas até as 15h. Mas há mesas de pingue-pongue e piquenique, e uma série de outros luxos oferecidos a quem está pronto para tocar. Com exceção do Green Day, que tem seu próprio complexo cercado, as salas verdes para todas as bandas que tocam são montadas em linha umas com as outras, uma vila de rock n'roll.


Dentro do camarim de Måneskin, Damiano está terminando um pequeno baseado, e ele vai anunciar para a multidão como é bom que a maconha seja legal em Chicago.


A banda também está sem roupas, suas roupas de palco estão apenas pela metade neste momento. Descansando em vários estados de nudez, raramente houve um exemplo melhor de uma banda de rock n'roll mais estilosa. Não é à toa que eles foram escolhidos para estrelar uma campanha publicitária da Gucci no ano passado.


É outro exemplo vívido de sua rápida ascensão de fazer shows quando adolescentes e buskings nas ruas de Roma para estar no meio da dominação mundial. Seria fácil para eles deixar que seus sucessos os descarrilassem, mas eles não mostram sinais de que isso realmente está acontecendo. Na verdade, eles estão ajustando tudo muito bem - provavelmente porque, tendo ganho vários prêmios em casa alguns anos atrás, as rodas já estavam em movimento muito antes do Eurovision lançá-los na estratosfera.


"Acho que nos acostumamos com isso de certa forma na Itália, quando estávamos crescendo lá", diz Vic, "então já sabíamos como lidar com isso e como não deixar isso entrar em nossas cabeças. Agora estamos simplesmente felizes e curtindo cada pedacinho disso"


Exatamente como deveria ser. Mas também vale a pena notar que isso é algo pelo qual eles têm trabalhado ativamente desde que formaram a banda quando adolescentes na escola. Porque mesmo com pouca idade, como explica Victoria, Måneskin estava de olho no grande momento. Pergunte a eles se, naquela época, suas inspirações incluíam a dominação mundial e eles provavelmente - como a maioria das bandas - teriam dito que sim. A diferença agora é que eles podem responder "sim" e realmente ter isso como uma possibilidade tangível.


"Mesmo quando começamos a banda, quando éramos jovens, levamos isso a sério", ela diz, "Não é como se estivéssemos dizendo 'Ah, queremos tocar no The O2' - e aqui ela sorri um sorriso diabólico para ilustrar sua alegria que isso realmente vai acontecer - "mas queríamos fazer um projeto real, gravar um álbum no estúdio, fazer muitos shows. A maioria das pessoas da nossa idade nem gostava de música, ou se gostava, era só por diversão ir a uma sala de ensaio e tocar alguns covers. Mas nós pensamos 'Precisamos fazer uma sessão de fotos e fazer um videoclipe'. Todo mundo estava tipo 'O que diabos há de errado com você?' 'Vocês são crianças de 15 anos!' Mas nós realmente queríamos fazer disso um projeto duradouro."


Com isso vem uma sensatez e inteligência que desmente sua imagem e seu som. Um dos fatos mais divulgados sobre Måneskin é que as pessoas estão transmitindo as músicas da banda aos bilhões. Em 2021, a comparação de análises Viberate somou os números do Spotify, TikTok, YouTube e Instagram para revelar que os italianos causaram o maior impacto em termos de visualizações, streams e curtidas naquele ano. No Spotify, eles foram transmitidos dois bilhões de vezes em 2021, enquanto conquistaram 213 milhões de visualizações no YouTube. Essas estatísticas insanas do Spotify significam que eles foram transmitidos mais vezes que o Metallica - que, em comparação, conseguiu apenas 1,3 bilhão de streams - e também deu ao Queen uma corrida pelo seu dinheiro.


Impressionante como isso é - e é incrivelmente impressionante - Måneskin está apenas levando esses fatos e números em seu ritmo. Por outro lado, deve-se dizer, que muitas pessoas estão ficando chateadas porque esses jovens moleques estão sendo mais transmitidos que seus heróis icônicos, ou os meios de comunicação que estão senso sensacionalistas com essas figuras.


"Eu acho que o mundo se tornou um monte de merda clickbait", diz Damiano, "É claro que o espectador vai ficar super chateado quando ouvir 'Måneskin é mais transmitido do que Queen.' Mas eu sou uma pessoa que pensa, então eu fico tipo 'Claro'. Eles não eram uma banda da época do Spotify. Eles venderam milhões de álbuns a mais do que podemos esperar vender a vida inteira, porque funcionava de outra maneira. Não era sobre os streams, era sobre vendas reais. É uma coisa diferente, mas acho que são apenas os jornalistas tentando ser inteligentes e causar drama para fazer as pessoas se separarem. Mas é uma merda. Sabemos que estamos não somos o Queen e nem queremos ser o Queen. Eles já existiram no auge e não queremos copiar ninguém. Caso contrário, eu estaria cantando em voz alta e me vestindo todo de branco".


Com grandes poderes vêm grandes responsabilidades, assim diz o velho ditado. Isso é algo que Måneskin está descobrindo cada vez mais à medida que seu perfil continua a crescer exponencialmente. Escusado será dizer que o glam rock não é, e nunca foi, um gênero particularmente político. O ponto principal disso é uma postura exagerada e dramática - é para ser divertido e estridente.


No caso de Måneskin, também está inundado de uma sexualidade pesada - especialmente em sua performance de "Touch Me", uma música fumegante e desprezível sobre atração física que hoje vê Damiano, a essa altura de topless, entrar na multidão e encantá-los com seu incrível carisma e seu torso suado e nu. Mas então as coisas tomam um rumo para o mais sério. Essa música se transforma em um cover desequilibrado de "My Generation" do The Who, antes que a banda anuncie sua solidariedade com a Ucrânia e comece uma diatribe cruel sobre Vladimir Putin por meio da introdução de "GASOLINE". Um hino ameaçador lançado em abril - um mês depois que a banda cancelou a parte russa de sua turnê mundial em oposição à guerra - que parece se dirigir diretamente ao presidente russo, e oferece um lado completamente diferente da banda. Isso mostra que há muito mais para eles do que apenas o hedonismo do glam rock - algo que eles acham que é cada vez mais importante mostrar ao mundo à medida que continuam a crescer.


"Quando sabemos o suficiente sobre algo específico, então falamos sobre isso", diz Ethan em uma das poucas ocasiões em que fala durante a entrevista. "O conhecimento é importante."


"Adoro essa frase da Billie Eilish", diz Damiano, "ela disse uma coisa muito inteligente, que 'ter dinheiro te faz poderoso, mas às vezes dizer não ao dinheiro te deixa ainda mais poderoso'. Acho que isso é uma grande verdade, e dizer 'não' para alguns lugares ou algumas pessoas ou algumas indústrias que estão ferrando o mundo é muito poderoso. Isso envia a mensagem de que você também pode ferrar com eles."


Não fique com a ideia errada. Måneskin não vai virar Rage Against The Machine tão cedo.


"Não se trata de política real", esclarece Vic sobre a decisão da banda de não tocar na Rússia. "É sobre a humanidade. Quando defendemos a Ucrânia, não estamos discutindo estratégias ou falando com a OTAN, estamos apenas dizendo que é desumano matar pessoas inocentes e invadir um país dessa forma. E acho que algumas pessoas realmente discordam de nós ao dizermos isso, mas eu acho muito estúpido, honestamente. O que estamos dizendo é apenas uma questão de direitos humanos e respeito às outras pessoas - e não sobre ter uma guerra acontecendo e invadirem e matarem um monte de inocentes. E nós gostamos de ficar contra todas as outras injustiças, como racismo, homofobia e misoginia. Não achamos certo alguém discriminar ou desrespeitar os outros."


É aqui que a distância entre Måneskin, a banda, e Måneskin, as pessoas, começa a se confundir e se tornar mais distinta. Como a grande maioria dos músicos, suas músicas são apenas uma parte de suas personalidades e vidas, não todas - por mais que isso seja errado. Eles parecem o papel e agem o papel, mas isso não significa necessariamente que são inteiramente quem eles são. Eles não são apenas uma banda de rock n'roll, mesmo que sejam uma banda muito boa. Eles são muito mais que isso.


"Acho que as pessoas nos esteriotiparam um pouco porque somos uma banda de Rock", admite Damiano. "Eles fazem a conexão imediata entre o rock n' roll e o estilo de vida super selvagem. Existe essa parte, é claro. Tipo, Vic e Tom adoram festas, mas eles são naturalmente responsáveis ​​e não usam drogas. Eu odeio festas e eu não vou a uma festa a menos que seja com meus amigos mais próximos. Mas não tivemos tempo de nos mostrar em 360. Talvez nem estejamos prontos para isso. As pessoas são muito complexas e complicadas, então é difícil mostrar tudo sobre você apenas por meio de entrevistas, mídias sociais e no palco."



"Faz parte de quem somos, claro", acrescenta Victoria. "Não é possível mostrar todos os lados de nós mesmos. Algumas coisas gostamos de manter em segredo. Nossos amigos e pessoas que estão conosco sabem, mas não é como se estivéssemos fingindo nada. É claro que nos comportamos de formas diferentes se estamos em um jantar amigável ou estamos em um palco, mas isso é normal."



A jornada de Måneskin para essas grandes alturas pode, à distância, parecer uma ascensão relâmpago ao estrelato do rock, mas na verdade eles estão prontos para chegar à próxima fase de sua carreira. Apesar de serem cautelosos em relação a detalhes, eles estiveram em Los Angeles trabalhando em um novo álbum com, entre outras pessoas, o famoso produtor e hitmaker sueco Max Martin, onde eles disseram que gravaram "provavelmente 50" músicas para seu próximo álbum. É, realmente, o acervo dos sonhos - exceto que esses são sonhos que continuam se tornando realidade, e parecem destinados a continuar a fazê-lo por um longo tempo ainda.


"Sempre achamos que realmente conseguiríamos", diz Damiano, seguro de si, mas não arrogante. "Tudo o que está acontecendo agora nos deixa super felizes e orgulhosos, mas também não estamos impressionados com isso, porque trabalhamos duro para chegar aqui. Nós merecemos e sabemos como mantê-lo e sabemos o que queremos queremos fazer. Mas também sabemos que isso não é algo que acontece todos os dias, sabemos que este é o nosso trem e fomos espertos e sortudos o suficiente para pular nele, mas agora que já estamos embarcados, queremos apenas relaxar e aproveitar a viagem sem pensar 'Onde vamos chegar?' .Porque nós não damos a mínima. Estamos apenas nos divertindo, e as coisas estão ficando ainda melhores”.



Ainda assim, não descarte que, da próxima vez, talvez Måneskin seja o único com o complexo cercado dentro do complexo cercado. E você pode apostar sua vida que já haverá muito mais pessoas presentes derramando aquelas lágrimas de "fãs profissionais" durante um momento que nunca esquecerão.



 

Tradução: Juliana Galvão | Portal Måneskin Brasil © 2022

Original: Mischa Pearlman | KERRANG © 2022



Todos os direitos reservados KERRANG Magazine

827 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page